Apequenado após a queda de braço, Bolsonaro não vai a eventos sobre o Coronavírus

Na queda de braço com seu ministro, Bolsonaro se apequenou e virou ‘anão de jardim’ depois de ser derrotado; não comparece a dois eventos sobre o coronavírus, segundo o Estadão. O presidente perdeu a importância e consequentemente, o apoio dos militares de alta patente; como bem disse o haitiano anônimo, porém famoso, “Bolsonaro não governa mais”.

Como uma figura decorativa e sem importância, o Comitê de Crise e coordenação das ações do governo sobre o coronavírus passou a ser tratado por militares, numa espécie de “intervenção” do Palácio do Planalto. O general Braga Netto, transferiu as entrevistas a respeito da pandemia para o Planalto e foi um dos que convenceram o enciumado presidente sobre o protagonismo do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a não demiti-lo.

A não demissão do ministro despertou a ira do chamado “gabinete do ódio”, comandado por Carluxo, com o aval do seu pai; os militares de alto escalão passaram a ser alvos de ataques virtuais. Enquanto isso, a CPMI das fake News teve o seu prazo de encerramento prolongado e trará muito coisa à tona, que poderá custar a cadeira da presidência. Aguardaremos os próximos.