Bolsonaro caiu na jurisdição de Haia por incitar genocídio indígena

Jair Bolsonaro é o primeiro líder brasileiro a ser investigado no Tribunal Internacional de Haia, na Holanda. A denúncia, feita em 2019 pelo Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos (CADHu) e pela Comissão Arns. A informação foi divulgada pelo colunista Jamil Chade, do portal de notícias ‘UOL’.

Desde que foi eleito, o brasileiro escandaliza o mundo com ataques sistemáticos contra o meio ambiente, índios e ONGs. O presidente é acusado de incitar genocídio de indígenas, o que caracteriza crime contra a humanidade, que é da jurisdição da Corte Internacional (Haia). 

Bolsonaro havia prometido em campanha, que se eleito, “índio não ia ter um centímetro de terra”. Uma frase irresponsável que caiu no gosto dos ruralistas. Foram  apresentadas mais de 30 atos considerados “incitação ao genocídio”; que consistem em: medidas provisórias, decretos e discursos do presidente.