Bolsonaro desiste de enterrar de vez o seu moribundo governo e não demite Mandetta

Bolsonaro ameaçou, mas desistiu de demitir Mandetta nesta segunda-feira, após muita comemoração antecipada dos seus aliados; a ex-atriz e atual secretária de Cultura, chegou anunciar na sua rede social, Instagram, que Osmar Terra era o novo secretário. Segundo informações não oficiais, o deputado já teria telefonado para os governadores pedindo o afrouxamento das regras de confinamento social. Se essa notícia se confirmasse, Bolsonaro teria cavado a própria cova do seu moribundo governo e poderia ser preso por atentado contra a Saúde Pública e outros crimes.

Sem dúvidas, Militares foram fundamentais na reviravolta, no entanto o ministro continua sendo uma pedra no sapato do presidente. Os governadores rebelados contra as iniciativas do governo central, vinham trabalhando em sintonia com a Pasta da Saúde, o que deixava o presidente isolado e insistindo em por fim a quarentena, sob a alegação de salvar a economia.

Bolsonaro chegou a ameaçar publicamente o ministro que ‘se achava’, com indiretas de que a hora dele iria chegar; tudo porque o ministro estava fazendo a coisa certa e contrariava os aliados que apoiam o governo. Para agravar a situação, o presidente convocou os seus mais fanáticos seguidores neste Domingo de Ramos, para desafiar o Coronavírus com um “Jejum Nacional” nas ruas, a céu aberto, expondo muitos idosos ao risco de contaminação.

Esse foi um desafio insano feito ao Ministério da Saúde e a OMS Organização da Saúde, que havia recomendado isolamento social em meio à pandemia do coronavírus, como o único recurso para conter o seu avanço. Mandetta vem protagonizando na frente da sua pasta e segundo as últimas pesquisas Datafolha, obteve uma aprovação de 76%, o dobro da aprovação do governo Bolsonaro, com 33%.