fbpx

Derrota da extrema-direita na América; lacaio de coração partido

Donald Trump se comportou como qualquer extremista de direita diante da iminente derrota; esperneou e tentou o famoso “tapetão”. Disputando a reeleição, Trump acusou sem provas, que a eleição estava sendo “roubada”, e se declarou presidente eleito.

Joe Biden, apontado pelas pesquisas como o favorito, fez o oposto. Disse: “Não estou aqui para declarar que ganhamos, mas para declarar que, quando a contagem encerrar, acreditamos que seremos os vencedores”

Os ataques de Trump ao sistema eleitoral dos Estados Unidos teve a intenção acirrar os ânimos dos seus partidários supremacistas brancos, o que poderá ter sérias consequências se seus admiradores decidirem usar a violência. 

Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sem provas, também questionaram a contagem de votos nos estados de Wisconsin e Michigan. 

Famoso como lacaio de Donald Trump, Bolsonaro estava apreensivo, sem rumo e sem saber o que fazer com a derrota do seu ídolo. Como presidente de um país que se tornou o “pária internacional”, disse apenas que, ‘o Brasil vai ter que se virar’ caso Biden venha rechaçar tentativas de aproximação do Palácio do Planalto.