DILSON DE AGRIPINO DEIXA PT COMO TRAIDOR APÓS CUSPIR NO PRATO QUE COMEU

Com o aparecimento do Dr. Antônio Nery no Grupo, o PT foi sendo deixando de Lado e o eloquente advogado passou a ser o mentor intelectual do ex-prefeito, e um subgrupo foi formado por não petistas. Finalmente, Dilson abandonou o Partido dos Trabalhadores para se unir aos adversários do partido. A mudança de lado veio justamente quando o PT mais precisa de apoio, e soou como ato de covardia e uma prova de que ele nunca teve ideologia política.

Logo após este jornalista publicar a desfiliação do ex-prefeito Dilson de Agripino, os fundares do PT de Tobias Barreto demonstraram as suas indignações a respeito. A vida política de Dilson foi construída pelo PT e sua militância, quando ele ainda era um desconhecido no mundo político. Agradecia a Sissi, Luciano da bateria, como era conhecido, Franco Ramos e demais guerreiros do PT tobiense, por ter serem os responsáveis pelas suas duas eleições. Mas as coisas mudam de acordo com os interesses.

“Lamentável, é o fim político de Dilson”, disse Franco Ramos, atual presidente do PT em Tobias Barreto. Já o Dr. Luciano que não é mais filiado ao partido, mas continua petista de coração, ficou profundamente triste com a decisão do ex-prefeito por quem muito militou. “E aquele que dizia, são quatro dês: Dilma, Deda, Dilson e Deus, hoje se junta aos golpistas que estão aniquilando esse país”, disse o advogado. Será que Dilson terá futuro depois de se juntar aos golpistas tão odiados pelos militantes petistas. Dilson deixa o PT como traidor e marca a sua trajetória política como um líder fraco e covarde.

Deixe seu seu comentário

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER