fbpx

O fracasso bolsonarista e o sucessor de Lula no protagonismo da esquerda nacional

A esquerda ressurge como uma onda avassaladora na América Latina, em reação ao obscurantismo do neoconservadorismo. A derrota de Donald Trump nos Estados Unidos, a volta gloriosa de Evo Morales e a queda do bolsnarismo no Brasil, consolidada pelas eleições municipais de 2020, indicam mudanças significativas em 2022. 

Nesse contexto geopolítico surge Guilherme Boulos, emergindo do meio do povo como novo líder progressista. Ele não nasceu do nada; há vinte anos lidera um movimento que luta pela inclusão social dos desvalidos. Homem experiente e que fala das demandas e soluções com clareza, como poucos no mundo; Boulos, tem a visão social de um humanista.

Como líder que é, já conseguiu unir grandes nomes em torno do seu projeto para a cidade de São Paulo; Boulos, será o “novo Lula”. No entanto, o candidato progressista não terá vida fácil, a elite conservadora usará todas as armas de disseminação do ódio e desinformação contra ele. Contudo, os apoios dos seus novos aliados (Frente Ampla) farão uma grande diferença na luta contra a extrema-direita.