fbpx

O STF aceita denúncia da PGR para apurar atos de Bolsonaro e filhos contra a Democracia

Hoje, (21), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de inquérito para investigar as manifestações realizadas no último domingo (19), que pediam intervenção militar, a volta do AI-5 e o fechamento do Congresso. A denúncia foi aceita com base na Lei de Segurança Nacional. Antes das manifestações na frente dos quarteis do exército em várias cidades, Eduardo “Bananinha” postou uma foto de uma reunião em família, que ele chamou de (QG) Quartel General, indicando que foram os organizadores e os que tocaram o “berrante” via Whattsapp.

A manifestação na frente do quartel em brasília, contou a presença do presidente, que dava palavra de ordem aos alucinados da seita bolsonarista. Após tentar envolver os militares em manifestações pro autogolpe de estado, Bolsonaro se encontra acuado em um “beco sem saída”. O exército brasileiro não embarcou na loucura do capitão “bunda suja” e fez uma reunião de emergência que o fez recuar. Tarde demais; o procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou nesta segunda-feira (20) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito para apurar atos pro ditadura do presidente e filhos, embora não fossem citados.

Escreveu Aras no pedido de investigação:

“O Estado brasileiro admite única ideologia que é a do regime da democracia participativa. Qualquer atentado à democracia afronta a Constituição e a Lei de Segurança Nacional”