Obscurantismo medieval e o filho de Belial que nega a ciência para causar milhares de mortes

O presidente Jair Bolsonaro esperneia igual um porco levado para o abate; por que tanto medo? Tem se negado a apresentar os testes que fez, ambos negativos, segundo ele, mas nunca mostrou os resultados, nem mesmo sob ordem judicial. A AGU (Advocacia-Geral da União) enviou um relatório médico do dia 18 de março, atestando que Bolsonaro tinha tido resultado negativo para Covid-19, no entanto, não foram apresentados os exames. Diante do malabarismo para não mostrar os exames como provas cabais, o relatório médico foi rejeitado pela juíza Ana Lúcia Petri Betto, que deu 48 horas ao presidente para que sejam entregues.

Com a pressão judicial, Bolsonaro já admite que talvez já tenha pegado o vírus no passado e não tenha sentido, ou seja, ele mentiu o tempo todo, depois de ter contaminado várias pessoas antes de ser curado. A Covid-19 já matou 5.901 pessoas no Brasil até esta quinta-feira e a previsão é que esse número dobre até Domingo; o sistema de saúde já entrou em colapso como previu Mandetta, sem a pandemia atingir o seu pico. O grande responsável por essa crise sanitária e hecatombe, será o ‘Messias’ bolsonarista e o seu séquito.

Contra tudo que é moderno e civilizado, Bolsonaro está na contramão da humanidade por questões ideológicas. Extrapolou todos os limites do bom senso e razoabilidade, para garantir a sua base eleitoral de extrema direita e atender as expectativas de fanáticos religiosos, desajustados e do submundo do crime organizado. Em 05 de Março, mês do auge da pandemia do Coronavírus no mundo, a Marinha do Brasil formalizou um contrato de R$ 9,1 bilhões na compra de quatro avançadas fragatas da nova classe Tamandaré.

No dia 08, o governo de Jair Bolsonaro assinou um acordo militar bilateral com os Estados Unidos, para desenvolvimento de projetos que podem dar acesso ao Brasil a um fundo de desenvolvimento de tecnologia para defesa que chega a US$ 100 bilhões. Ele e sua comitiva foram infectados nessa visita e importaram o Covid-19 para o país. A princípio, chama a doença de “uma gripezinha”; apesar dos alertas da OMS (Organização Mundial da Saúde), preferindo investir pesado em armamentos.

A “gripezinha” do presidente, importada por ele e sua comitiva, dos Estados Unidos, virou uma pandemia nacional, que terá consequências sem precedentes. O deboche do presidente (sem partido) aos governadores, especialistas e a OMS (Organização Mundial da Saúde), quebrando de vez todas as regras de quarentena devido o coronavírus ao sair às ruas sem máscaras, tocando nas pessoas e incentivando o povo sair do isolamento social, custará muito caro ao povo brasileiro.

Essa saída irresponsável do presidente de uma nação, que deveria ser um exemplo para todos, configura em um crime grave que pode afastá-lo da presidência e levá-lo a prisão por atentado a Saúde Pública, com base no Código Penal:

Art. 267. Causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênicos:

Pena – reclusão, de 10 (dez) a 15 (quinze) anos. (Pena estabelecida pela Lei nº 8072 de 25/07/1990)

§ 1º. Se do fato resulta morte, a pena é aplicada em dobro.

§ 2º. No caso de culpa, a pena é de detenção, de 1 (um) a 2 (dois) anos, ou, se resulta morte, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos.