Reviravolta no cenário político; o caminho do impeachment

Os efeitos catastróficos de um exército que se ajoelhou para o ex-capitão que foi expulso por atos de terrorismo contra a própria corporação e lideres religiosos infiltrados no governo negando a ciência, começaram vir a tona. O presidente está isolado e pode sofrer o impeachment com a próxima eleição da Câmara.

O “Messias ungido por Deus” para impor a pauta conservadora (Deus, pátria e família), fracassou e pode ser preso ser for destituído da presidência. Um caminho está sendo traçado com Gleisi Hoffmann, ao lado de Maia. Onze partidos se uniram em um bloco contra o autoritarismo, negaciosismo e as fakes news.

Com a maior bancada da Câmara, o PT pode eleger Gleisi presidente e o impeachment pode tornar realidade para o bem da nação. Bolsonaro aparelhou o Estado para salvar sua família e perseguir adversários políticos, no entanto, todas as medidas impopulares ou que afrontavam a democracia, foram derrubadas pelo Congresso ou Supremo.

Ele, que pretendia governar por decretos, não tem poder de decisão e não passa de um palhaço tentando agradar o seu público, cada vez menor.