Saiba porque o Ministério Público pede responsabilização de Dilson de Agripino pela falta de abastecimento de água em Tobias Barreto

Desde dezembro passado, a barragem do Jabeberi, de 130 m³/hora, projetada para atender a população até o ano de 2037, sofre com escassez de chuvas e assoreamento.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) constatou que o Município de Tobias Barreto sofreu uma grave crise hídrica em consequência do não funcionamento de uma obra que custou cerca de R$ 5 milhões, realizada para abastecer os povoados da localidade com água potável. A obra foi realizada em 2016 pelo então prefeito Dilson de Agripino, que esqueceu da ligação de uma rede elétrica, necessária para fazer o bombeamento do precioso líquido.

De acordo com a apuração da Coordenadoria de Engenharia do TCE, o sistema construído não entrou em funcionamento porque os poços estão situados em território baiano e o gestor da época não providenciou a outorga de uso da água para que o sistema pudesse entrar em funcionamento. Sem a outorga, a empresa de fornecimento de energia não pôde efetuar a ligação do sistema. Saiba mais (aqui)

Deixe o seu comentário

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER