fbpx

Uma polêmica simpatizante do nazismo cria um grupo de radicais para “exterminar a esquerda”

Depois dos grupos: Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem pra Rua, que elegeram os piores políticos dos últimos tempos, é a vez do ‘300’, grupo que mistura nazismo, cristianismo, força bruta e gestos obscenos, mas que prega o conservadorismo para livrar o país da dependência econômica da China e “esmagar a esquerda“. O grupo foi criado no mês passado por Sara Winter (Sara Fernanda Giromini), 27 anos, ativista, organizadora de protestos políticos e discípula de Olavo de Carvalho.

O grupo ‘300’ já conta com 3,2 mil participantes e é patrocinado por eles mesmos, empresários e políticos bolsonaristas. A convocação para a primeira manifestação do grupo contra o Supremo foi feita pelas redes sociais e prometia ser a maior manifestação de todos os tempos, mas foi um fracasso de público.

A fundadora contou em uma entrevista, que veio de uma família desestruturada, com irmão envolvido com o PCC; tendo que sair de casa, trabalhou como prostituta até entrar em contado com um grupo de feministas ucranianas, FEMEN (em ucraniano: Фемен), fundado em 2008 na Ucrânia por Anna Hutsol, mas atualmente baseado em Paris.

Sara Fernanda, que tinha sido vítima de abusos, foi aceita no grupo e recebeu treinamento para organizar protestos em defesa da causa feminista. Participou de vários protestou na Europa, onde chegou a ser presa e se tornar conhecida; de volta ao Brasil, fundou a FEMEN-Brazil e adotou um sobrenome fictício (Winter) para não expor a família.

Contudo, em 2013 foi desautorizada pela sede na Ucrânia, por não seguir o padrão exigido. Foi nesse período que conheceu Carla Zambelli, que também integrou o grupo, mas saiu para fundar o “Vem Pra Rua”, por onde se elegeu, apoiando Bolsonaro. Sara Winter, também fundou o seu próprio grupo, o BastardXs, um movimento feminista que ficou conhecido durante o protesto contra a exploração sexual de mulheres durante a Copa do Mundo 2014.

No entanto, ela abandou a causa feminista e decidiu aderir ao radicalismo bolsonarista que elegeu os integrantes do MBL e Vem Pra Rua da sua rival Carla Zambelli. Sara Winter se tornou “evangélica” e uma bolsonarista radical que sonha com uma carreira política a exemplo dos seus concorrentes, organizadores de protestos. Chegou a ser nomeada por Damares como Coordenadora Nacional de Políticas à Maternidade. Será mais uma da nova lavra de políticos que colocará a democracia em risco.

Sara fernanda giromini Essa é minha irmã! Não vale o ar que respira Ex prostituta e tambem fez diversos abortos Uma…

Publicado por Diego Giromini em Sábado, 27 de abril de 2019